Dia 2: do hospício para a Esplanada | 03/01/19

1. Eu gosto do chanceler que toma sorvete pela testa porque é quem melhor revela toda essa loucura orgulhosa, essa loucura desinibida. Ele é daqueles malucos que faz questão de lembrar a todos que não é maluco, seu discurso de posse foi uma missa esquisitíssima.

Deveria preocuparmos cada vez mais a teofobia, o ódio contra Deus. Há uma teofobia horrenda e gritante na nossa cultura, não só no Brasil, em todo o mundo. Um ódio contra Deus que vem sabe-se lá de onde, canalizado por todos os códigos de pensamento e de não pensamento que perfazem a agenda global

O Globo fez um resumo das referências do chanceler, é uma referência religiosa atrás da outra [O Globo]: o dodói da cabeça acha que é o Anchieta do século 21, Bolsonaro é o retorno de Rei Sedastião, “UM MITO” que voltou para salvar o Brasil – já vimos esse filme antes. Ah, e Olavão é o Dom Quixote dessa trama surreal.

Não mergulhemos nessa piscina sem água que é a ordem global

Porra, esse chanceler abala profundamente meu pacifismo. não é possível que os generais não estejam FRITANDO esse imbecil, nem posse deveria ter tomado.

O Bruno Boghossian resumiu bem a insanidade que é essas loucuras saírem da boca de um chanceler [Folha]:

O ministro considera inimigos “quem odeia Deus” e “quem diz que não existem homens e mulheres”. Até onde se sabe, discussões teológicas e sobre discriminação sexual não fazem parte das atribuições do Itamaraty e não norteiam sua política. No discurso, Araújo ainda disse que o ministério deveria se pautar por liberdades. “A principal delas, se me permitem citar uma novela dos anos 60, é o direito de nascer”, disse. Nos EUA, modelo do bolsonarismo, o aborto é um direito constitucional referendado pela Suprema Corte.”

Se fosse uma luta era papo do córner adversário cobrir o ringue de toalhas.

De longe, a parte mais perigosa foi a menção direta e elogiosa à Hungria, Polônia, Itália – todos de extrema-direita. Esse texto de Portugal explica a menção à Hungria – logo a Hungria, porra! [Público]

É revelador que, para além de Marcelo Rebelo de Sousa, o único outro chefe de estado ou governo da União Europeia a viajar para assistir em Brasília à tomada de posse de Jair Bolsonaro tenha sido o primeiro-ministro da Hungria, Viktor Orbán. Portugal esteve representado por causa dos seus laços históricos nunca interrompidos com o Brasil. Mas Orbán é outra coisa. Orbán foi a Brasília avaliar o estado da sua obra. Orbán assume-se como o precursor do nacional-populismo, e é como tal reconhecido pelos seus discípulos. A ida de Orbán a Brasília não é só reveladora. É merecida. E não é só merecida. É — para quem tenha seguido os passos de Orbán desde que chegou ao poder em 2010 — instrutiva. Orbán iniciou a construção daquilo a que ele próprio chamou uma “democracia iliberal” por um confronto com a imprensa. No início poucos prestaram atenção. Mas o confronto com a imprensa era necessário, não só para controlar o debate público, mas sobretudo para identificar um inimigo. Não para controlar a mensagem, mas para fazer passar uma mensagem. O mesmo fizeram Bolsonaro e os seus próximos, ontem, ao tratar a imprensa profissional tão indignamente quanto possível ao passo que os seus “influenciadores” amigos tiveram direito a acesso e tratamento especial.

Já repararam como para os bolsonaristas, tudo — desde a TV Globo às universidades e à igreja católico — é comunista? Já repararam como Bolsonaro iniciou o seu mandato proclamando que o povo iria acabar com o socialismo no Brasil e ele próprio varrer do ensino toda a “porcaria marxista”? Também no início da decapitação do sistema judicial húngaro, quando todos os juízes no topo da hierarquia foram forçados à aposentação compulsiva, um deputado europeu húngaro me dizia “não se preocupe tanto com os juízes, isso no seu país faria sentido, mas na Hungria os juízes são todos comunistas”.

__/\/\/\/\/\/\__

2. O outro sinistro da cota do Olavão também fez um discurso pavoroso  [Folha]:

A agressiva promoção da ideologia de gênero somou-se à temática de derrubar nossas mais claras tradições. Essa tresloucada onda globalista, tomando carona no pensamento gramsciano (…), passou a destruir um a um os valores culturais em que se assentam nossas tradições mais caras: a família, a igreja, a escola o estado e a pátria, numa clara tentativa de sufocar os valores fundantes da nossa vida social.”

E um bastidor interessante mostrando como esse governo tá batendo cabeça:

Rodriguez repercutiu ainda o esvaziamento da pasta do MEC que cuidava de diversidade, como a Folha revelou. Ao longo da posse, sua equipe insistia que não havia esvaziamento das ações de diversidade. Mas a versão foi alterada após o próprio Bolsonaro publicar no Twiiter a ideia era essa mesmo. “Desmonte significa acabar com algo que estava muito limitado e manipulado ideologicamente por algo que não visa a ideologia.”

É o mesmo roteiro americano: a Casa Branca tenta contemporizar pra logo em seguida o Trump fulminar a narrativa oficial com sua sinceridade espantosa.

Esse é o tipo de coisa não deveria passar desapercebido, pleno século 21 e os militares tocarão a educação [Folha]:

O grupo ligado aos militares conseguiu emplacar nomes para os cargos mais importantes no Ministério da Educação do governo do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL). Os cinco futuros integrantes da pasta já dados como certo têm conexão com os militares. A influência do grupo de militares é reflexo da dificuldade do futuro ministro em ter opções para sua equipe, segundo avaliação de pessoas que têm participado das conversas na transição. Vélez não tem experiência em gestão educacional ou nas discussões de políticas públicas da área. Foi escolhido por indicação do escritor Olavo de Carvalho, espécie de mentor ideológico da onda conservadora no Brasil.

Que zona, puta que pariu!

Além dos nomes já indicados para os cargos, há uma equipe de transição para a área de educação com nove pessoas, mais o futuro ministro. Fazem parte desse grupo, por exemplo, professores, três pessoas ligadas aos Bombeiros, um militar ligado à área de educação a distância, dois políticos do PSL e um professor que faz análises de supostas doutrinações de esquerda em livros didáticos.”

Três pessoas ligadas aos Bombeiros! E olha o naipe de um dos professores:

O professor goiano Orley José da Silva é colaborador do movimento Escola Sem Partido. Silva reúne desde 2014 em seu blog exemplos do que classifica como doutrinação de esquerda em materiais didáticos que fazem parte das compras do governo. O professor goiano Orley José da Silva é colaborador do movimento Escola Sem Partido. Silva reúne desde 2014 em seu blog exemplos do que classifica como doutrinação de esquerda em materiais didáticos que fazem parte das compras do governo.

Em texto recente, ele critica obras que chegam no ano que vem às escolas por apresentar a escravidão “como um ato desumano exclusivo da elite branca eximindo as comunidades africanas que escravizam sua própria gente”. Também relativiza trechos de livros que falam sobre o genocídio indígena na colonização, “como se os europeus não tivessem oferecido nada de bom aos índios, nem mesmo educação.” Sob o título “Livros do MEC de Temer poderão engessar ações didáticas do MEC de Bolsonaro”, Silva ainda afirma que a questão quilombola é uma pauta do PT. Também ataca atividades que buscam quebrar preconceitos de gênero, como normalizar a prática de futebol por meninas.

O racismo desse governo não cansa de me espantar.

__/\/\/\/\/\/\__

3. Completando a cota de ministros que não batem nem um pouco bem da cabeça, temos a ministra/pastora que passou a perna no Magno Malta [Folha]:

Em um auditório lotado por ativistas que gritavam “aleluia” e “glória a Deus”, a pastora evangélica Damares Alves tomou posse nesta quarta-feira (2) como ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos. Fez um discurso emocionado em que disse que não haverá mais “doutrinação ideológica” de crianças e adolescentes, que “menina será princesa e menino será príncipe” e criticou setores da imprensa, sem especificá-los.”

“Em quase uma hora de fala, Damares exaltou mais de uma vez sua fé. “O Estado é laico, mas esta ministra é terrivelmente cristã e, por ser cristã, acredito nos designos de Deus”, afirmou a nova titular da pasta que chamou de “mais extraordinário e lindo ministério”.”

Adorei essa expressão “terrivelmente cristã”, desde já vou adotar.

DAMARES

Troque a ministra de direita por uma de esquerda e troque a religião cristã pelo, sei lá,  candomblé: os cristão se diriam perseguidos, apontariam uma conspiração satânica e os caralhos, seria um auê.

Muitas pessoas no Brasil estão perguntando: precisava no Brasil de um Ministério da Família? Sim, gente. O governo Bolsonaro vem com uma outra perspectiva. Todas as políticas públicas neste país terão que ser construídas com base na família. […] Não dá mais para pensar em políticas públicas sem pensar no fortalecimento da família.” Damares citou que programas como o Enem acabam separando as famílias, já que um jovem pode ser aprovado em faculdade em outro estado. Questionada sobre o exame na saída, ela não respondeu. Sua secretária da Mulher, Angela Gandra Martins, disse que não há previsão de mudanças na prova.

E os estragos já começaram [O Globo]:

 

Publicados nesta quarta-feira no Diário Oficial da União (D.O.U.), a Medida Provisória 870 e o decreto 9.668 “rebaixaram” a população LGBTI na formulação das políticas e diretrizes de direitos humanos no país. Antes objeto do trabalho de uma secretaria nacional na estrutura do ministério, a exemplo das que contemplam as pessoas com deficiência, crianças e adolescente e o combate à violência contra as mulheres, entre outras, a promoção dos direitos de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais agora ficará a cargo de uma diretoria subordinada à Secretaria Nacional de Proteção Global, o que representa uma perda de status desta população dentro do sistema.”

Esse vídeo é uma desolação só:

“Nova Era” é uma baita dum slogan fascista, ainda mais dum governo que fala abertamente em minorias se curvarem á maioria.

__/\/\/\/\/\/\__

4. Perto desses três o Paulo Guedes deveria ser um monumento à razoabilidade, mas o Posto Ipiranga conseguiu a proeza de classificar a CLT como uma “legislação FASCISTA”. Isso não é um governo, isso é um monumento à estupidez! Mas comecemos pela agenda econômica do Guedes ponto a ponto [Estadão]:

Reforma tributária: “Guedes defendeu a criação de um imposto único, que simplificará o pagamento de tributos. O ministro disse que a carga tributária ideal para o Brasil é de 20%, bem abaixo dos atuais 36%. “Acima de 20% é o quinto dos infernos. Tiradentes morreu por isso.

Eu adoro quando as pessoas inventam um número e se agarram a ele como um afogado abraça uma bóia. Eis uma lista com países com mais de 20% de tributação, os números são de 2017 ]link]:

carga-768x716.jpg

Repare, o número mais baixo do gráfico é de 24%. A Dinamarca tem 45%, Alemanha 36%, o mesmo número citado pelo Guedes como carga tributária atual do Brasil. Argentina, nosso vizinho, 31%. Uruguai 26%, assim como os Estados Unidos. Quem quiser brigar com os números que brigue.

Privatizaões:Guedes disse que as privatizações serão o segundo pilar do governo, depois da reforma da Previdência. Ele lembrou que corrupção e venda de favores em empresas públicas estiveram no centro de escândalos nos últimos anos. “Mensalão, petrolão, ocorreram em empresas públicas”, disse o ministro. Na cerimônia de transmissão de cargo, o novo presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, disse também que o banco começará a abrir o capital de suas subsidiárias e que pelo menos duas ofertas iniciais de ações (IPOs, na sigla em inglês) serão feitas ainda este ano. Na sua gestão, segundo Guimarães, serão ofertadas ao mercado as áreas de seguros, cartões e loterias.

Abertura comercial:Guedes disse que a abertura do comércio será feita “de maneira sincronizada” com reformas estruturais, como a da Previdência e a tributária. “Se abrir a economia sem reforma, tem de falar ‘corre que o chinês vai te pegar’”, brincou o ministro. Segundo ele, o processo de abertura inclui comércio, bens e serviços, novas tecnologias e investimento estrangeiro direto, que deve ser desregulamentado.”

Bancos públicos: “O ministro afirmou que há hoje dois mercados de crédito no Brasil, o de crédito livre “com juro lá em cima” e o “dos amigos”, com juro baixo (ele se referia ao crédito direcionado, que engloba justamente os empréstimos concedidos pelo BNDES, rural e imobiliário). “A vida ficará um pouco mais difícil para quem vivia à sombra do governo”, afirmou.”

CLT: !O ministro afirmou que o governo de Jair Bolsonaro vai “inovar e abandonar a legislação fascista” da CLT, em referência à criação da carteira de trabalho verde e amarela, uma das promessas de campanha. Segundo ele, o objetivo é absorver pessoas que hoje estão no mercado informal de trabalho e “libertar” os trabalhadores do sistema de repartição da Previdência, pelo qual os ativos contribuem e bancam o pagamento de benefícios de aposentados.

O quão filho da puta tem que ser a pessoa pra classificar uma legislação trabalhista como FASCISTA?!

Corte de gastos:Guedes disse que o primeiro diagnóstico de sua equipe é que é necessário controlar a expansão dos gastos públicos, que chamou de “mal maior”. “Não precisa cortar dramaticamente, sangrar, é não deixar crescer no ritmo que crescia”, disse. Ele defendeu o teto de gastos, que limita o crescimento da despesa pública, mas disse que é necessário fazer as reformas para que ele se sustente. “O teto sem parede de sustentação cai. Temos de aprofundar as reformas, que são as paredes.

E se a reforma da previdência não passar, Guedes tem um plano B [Estadão]:

Agora, a estranheza vem de Guedes anunciar desde já um plano para o caso de derrota legislativa do projeto. Este seria, disse, uma proposta de emenda constitucional destinada a eliminar, de forma drástica, as regras que determinam aplicações mínimas das receitas em determinadas áreas, notadamente educação e saúde. Desvincular o Orçamento, conforme o jargão técnico. Tal ideia, que já havia circulado antes da posse da nova equipe, deve incluir ainda o fim da correção automática de valores como os dos benefícios assistenciais, trabalhistas e previdenciários. “Desindexa, desvincula e desobriga todas as despesas e receitas da União”, conforme as palavras do ministro.”

Imagine se fosse a esquerda querendo desvincular orçamento, ia rolar uma guerra civil nesse país, seria um absurdo, uma afronta à constituição, um atropelo à ordem estabelecia e por aí vai. A Folha não mediu as palavras, felizmente [Folha]:

O ministro sugeriria, pois, lançar uma bomba atômica na terra arrasada que seria a de um governo fracassado na Previdência.”

__/\/\/\/\/\/\__

5. E tem mais loucura, a represa de loucuras estourou e nós morreremos afogados [O Globo]:

O apoio do PSL à candidatura de Rodrigo Maia (DEM-RJ) à reeleição na Câmara dos Deputados , que surpreendeu partidos de todos os espectros políticos, teve como um dos principais articuladores o deputado eleito de primeiro mandato Alexandre Frota (PSL-SP), ex-ator de filmes eróticos que se elegeu defendendo uma pauta conservadora. A informação é do próprio Maia , que apontou Frota como emissário do ministro da Economia, Paulo Guedes , e disse que apenas a agenda econômica foi discutida na negociação para fechar a aliança, e não pautas ligadas a costumes. – O Alexandre Frota foi uma pessoa importante, porque veio aqui dizendo que tinha conversado com Paulo Guedes e que era um caminho importante o apoio à minha candidatura. E agora, com o presidente do partido (Luciano Bivar), demos esse passo para tentar construir uma Mesa plural, com partidos de centro-direita, hoje maioria, e os de centro-esquerda também, numa composição que represente o que a sociedade escolheu nas urnas – afirmou Maia ao GLOBO.

Que porra que tá acontecendo?! Bad trip do caralho. Das duas uma: ou o Frota blefou e o Maia caiu que nem um pato amarelo da FIESP ou o Paulo Guedes realmente usou Alexandre Frota como intermediário pra articular com a presidência da Câmara, e qualquer das opções é o cúmulo do absurdo. E parece que o Onyx foi contra [Folha]:

A decisão do presidente do PSL, Luciano Bivar (PSL-PE), de fechar o apoio a Maia não encerrou as divisões que existem dentro do próprio partido e no novo governo. O democrata soube que, após o anúncio do acordo, o ministro Onyx Lorenzoni (Casa Civil) demonstrou irritação e deixou claro que não trabalhou por esse caminho. ”

Por falar no Mercadante do Bolsonaro, ele também contribuiu com a cota de loucuras ministeriais [Folha]:

“Para não sair caçando bruxa, a gente exonera e depois conversa. Nós vamos despetizar o Brasil”

O articulador político do governo exibiu a sutileza dum Jr. Baiano trincado de pó e desde já se colocou omo fortíssimo candidato ao prêmio de declaração mais cretina de 2019. O estadismo desse governo me comove, se comportam como se estivessem na convenção municipal do PSL.

Competência é questão número um. O que nós vamos buscar é retirar desses cargos quem é antagônico ao nosso projeto. Nós somos sim um governo que tem perfil de centro-direita, de uma aliança liberal-conservadora. Não tem sentido ter aqui quem é socialista, comunista, essas coisas assim

Aí pergunta para o Onyx se ele achava errado um governo de  esquerda indicar apenas pessoas de esquerda lá em 2003, 2007, 2011 e 2016, nessa época era um absurdo, um acinte. E tem mais Onyx falando coisas espantosas:

Estamos tendo a coragem de fazer o que talvez tenha faltado ao governo que terminou no dia 31, de logo no início ir limpando a casa. Porque é o único jeito da gente poder tocar com as nossas ideias e conceitos e fazer aquilo que a sociedade brasileira decidiu por maioria: dar um basta nas ideias socialistas e nas ideias comunistas, que por 30 anos nos levaram nesse caos que vivemos hoje” [Antagonista]

30 anos?!?!
TRINTA ANOS?!?!
Ah, vai se foder!

O que esse imbecil tá dizendo é que a constituição é COMUNISTA!! Ele tá falando de 88, como se o Ulysses fosse um Che Guevara dos trópicos, é como se a ditadura tivesse acabado e o comunismo se instalado no país. Eu não faço a menor idéia como esse pessoal passou no psicotécnico do Detran.

Cês tão ouvindo o silêncio do Eduardo Bolsonaro, que descia o pau no Maia? Nem das reuniões do PSL ele tá participando.  E se na Câmara a disputa parece decidida, no Senado ainda tem muita porrada pra cantar – e o amadorismo do PSL só ajuda o Renan:

A decisão do PSL de lançar Major Olímpio à presidência do Senado animou os apoiadores de Renan Calheiros (MDB-AL), que já não tinham mais expectativa de vitória desde que o Supremo impôs votação aberta na eleição. Ao lançar Olímpio, o PSL enfraquece o tucano Tasso Jereissati, que buscava o apoio da sigla na disputa. Além disso, o partido só tem quatro senadores, o que reforça o discurso da proporcionalidade. O MDB tem 11.”

__/\/\/\/\/\/\__

6. O cenário ambiental é de terra arrasada já nos primeiros dias [Direto da Ciênbcia]:

Além de perder o Serviço Florestal Brasileiro (SFB) para o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, conforme noticiado ontem por Direto da Ciência, o Ministério do Meio Ambiente também não tem mais em sua estrutura a a Agência Nacional de Águas e três departamentos, o de Políticas em Mudança do Clima, o de Florestas e de Combate ao Desmatamento e o de Monitoramento, Apoio e Fomento de Ações em Mudança do Clima. Junto com essas mudanças em seu organograma, o o Ministério do Meio Ambiente (MMA) sofreu também perdas em suas atribuições institucionais. Não são mais de sua competência a Política Nacional de Recursos Hídricos nem o zoneamento econômico ecológico.

Não há na nova estrutura do MMA a descrição de nenhum setor especialmente encarregado de combate ao desmatamento. Na verdade, não há no decreto da nova estrutura desse ministério nenhuma menção à palavra “desmatamento”. Por sua vez, não há também na pasta da Agricultura nenhum órgão com essa finalidade, assim como nenhuma consideração ao tema.”

__/\/\/\/\/\/\__

7. Da coluna do Contardo Caligaris [Folha]:

Desse ponto de vista, aliás, daria para argumentar que, com o domínio dos carolas, o ensino piorará. Explico: em regra geral, qualquer visão do mundo ou ideia, quando ela é dominante (ainda mais quando ela é expressão do poder político instituído), torna-se lixo. O ponto de vista crítico, que questiona a ordem estabelecida e o conteúdo que está sendo ensinado, é a atitude que mais leva o estudante a pensar, investigar, estudar um pouco além do que é óbvio e prescrito.

Os cidadãos sem senso crítico são, de fato, os militantes políticos mais perigosos: emissários e informantes da ordem estabelecida. Desde a aurora do mundo moderno, o exercício efetivo da cidadania se confunde com o exercício da oposição. Talvez, no nosso sistema atual, no Brasil, os argumentos da oposição tenham uma referência (vaga) no marxismo –digamos que sejam “marxistas”. Eu preferiria que fossem hedonistas, mas tanto faz: o essencial, para mim, é que nossas crianças aprendam a olhar para o mundo e a entendê-lo criticando, opondo-se, imaginando e inventando outros mundos.”

__/\/\/\/\/\/\__

8. O maravilhoso capitalismo brasileiro nas palavras do ministro de Infra-estrutura [Folha]

Tarcísio disse ainda que resolverá “rapidamente” o impasse em torno dos contratos firmados pela ex-presidente Dilma Rousseff nas rodovias e no aeroporto de Viracopos que ficaram “inexequíveis” para as empresas devido à recessão.

Esse é daqueles imbecis que fala em “privatizar tudo”, o que o torna tão maluco quanto aqueles que querem estatizar a porra toda. E eu até imagino a Dilma “TERRORISTA” apontando uma arma na cabeça dos empresários e obrigando a assinatura do contrato, o empresário brasileiro sofre demais. É esse pessoal que mama na teta do Estado que vive falando em liberalismo.

Esse governo do século passado fazendo aplicativo, vai dar certo sim

Para atender a um pedido do presidente Jair Bolsonaro, Tarcísio disse que implantará um sistema de tecnologia da informação, uma espécie de aplicativo, que conectará o caminhoneiro diretamente ao dono da carga. A ideia é pôr fim aos atravessadores, estimulando os motoristas que hoje reclamam de custos elevados, principalmente diesel e frete.

__/\/\/\/\/\/\__

9.  O Dória é um cara que tá na política há um punhado de anos mas eu já o odeio como se ele tivesse a longevidade dum Sarney [Folha]:

Nos discursos de posse, Doria prodigalizou críticas a seu partido, que enxerga necessitado de reestruturação e de sintonia com anseios da população manifestados pelo voto —referência à eleição de Jair Bolsonaro (PSL), mencionado três vezes. Como se estivesse na posse de Bolsonaro e não na própria, disse que fará privatizações sem medo de bandeiras vermelhas e caras feias.

Se eu que quero mais que o PSDB se foda já fica puto com a figura, imagina o sujito que arrombou as portas do partido para o Dória entrar:

Para Geraldo Alckmin, presidente do PSDB e tucano que mais tempo passou no governo paulista, sobrou uma única menção nominal. No mais, o empossado dirigiu-lhe alusões que beiraram a descortesia, como ao dizer que São Paulo agora teria comando e posição. Declarou, também, que o palácio se tornará local de trabalho, que abrirá mão de morar nele e que não permitirá ali romarias de prefeitos em busca de cafezinho. Foi sua maneira acre de ridicularizar a política tradicional, tão bem encarnada no ex-governador.

__/\/\/\/\/\/\__

10. Se houvesse um Ministério do Vai Dar Merda muitas coisas seriam evitadas [Folha]:

A seleção de especialistas da burocracia em Brasília para ocupar cargos técnicos no governo de Jair Bolsonaro está passando, em muitos casos, pelo crivo de militares, que chegam a sabatinar os candidatos. A triagem serve para saber se as pessoas estão alinhadas com as ideias da nova administração. Ela era habitual em governos anteriores —mas as entrevistas eram feitas sempre pelos titulares civis dos órgãos em que as pessoas eram chamadas para trabalhar. Ou pelos que seriam seus superiores imediatos. A participação de militares não é a única coisa que tem chamado a atenção. Os termos usados nas conversas também são novidades, bem como o aviso de que a mudança de políticas públicas será radical.”

Assim como “MONITORAMENTO E SUPERVISÃO DE ONGs” [O Globo]:

“- Monitoramento e supervisão são expressões que nos preocupam muito – diz. – Um governo democrático não monitora e fiscaliza organizações da sociedade civil. Ele deve é fazer parcerias e regulamentar seu funcionamento, não suas ações.”

Sabe quem foi atrás das ONGs e rganizações globalistas? Orbán!

__/\/\/\/\/\/\__

11. A Apple revisou sua estimativa de lucros, algo raro, e isso mostrou que a desaceleração chinesa, causada em parte pela guerra comercial, vai cobrar um preço ainda maior do merado mundial.

E para azar do Brasil isso vai refletir no preço do petróleo [Axios]:

The slowdown in China and turmoil in stock and currency markets appears to be making investors nervous, including in oil markets,” Reuters notes. China is the world’s largest oil importer, and this report comes on the heels of data showing a slowdown in manufacturing.”

Como país extrativista que somos, quanto menor o preço do barril, pior pra gente. E quem tá ajudando a jogar o preço pra baixo é o Trump, não só com a guerra comercial mas também pelos ataques diretos à OPEP. Essa porra parece a tempestade perfeita, bizarro.

__/\/\/\/\/\/\__

12. Como dito aqui anteriormente, Bolsonaro será o chicote yankee para fustigar Venezuela e Cuba [Estadão]:

Segundo ele, a Colômbia é a maior afetada na região com a crise, o que dificulta uma postura mais agressiva, e a Argentina está em meio a dificuldades domésticas. “Esse papel vai recair sobre Bolsonaro. Essa será uma das coisas mais rápidas e fáceis de fazer para aproximá-lo da visão de Trump”, afirma Cutz. Segundo ele, o brasileiro ganharia na relação com EUA se tomasse a dianteira da discussão regional.” A dúvida é o quanto uma coordenação entre os países, costurada por Trump, traria efeitos concretos à crise na Venezuela. Onze dos 14 países que compõem o chamado Grupo de Lima já manifestaram repúdio a ações que caracterizem uma ação militar na região. A Colômbia, de Duque, não endossou o documento, mas Chile, Brasil e Argentina fazem parte dos signatários.

Sob o governo Temer o Brasil fez o que tinha que fazer, foi duro até onde podia ir, sem embarcar nas maluquices americanas. Esse chanceler doidão aí periga se jogar dum avião e ir lutar nas selvas jurando que é um rambo cristão.

__/\/\/\/\/\/\__

13. Aquele filme ‘Um Trump Muito Louco’:

Me perdoem pela linguagem chula, mas o Putin tá limpando o pau gozado na cortina do Salão Oval, nem nos sonhos mais tórridos ele imaginou uma putaria desse naipe. O presidente americano parece boneco de ventríloquo, doideira até não poder mais.

E É hoje que os democratas retomam o controle da Casa, e impeachment ja é aassunto até entre os republicanos, em especial depois da carta demolidora do Romney com o sutil título “The president shapes the public character of the nation. Trump’s character falls short” [Washington Post]. A resposta do Trump é completamente descolada da realidade, ele não rebate as críticas, tenta se apegar à parte boa da carta:

__/\/\/\/\/\/\__

14. Tem notícia pra caralho mas essa não pode ficar de forma porque é um marco não so na disputa espacial, mas também geopolítica. As palavras são do Gustavo Gindre:

A China se tornou o primeiro país a colocar um objeto no “lado escuro” da Lua. Obviamente o fato tem enormes implicações geopolíticas e tecnológicas. Mas o grande feito chinês está passando batido pela imprensa, inclusive a estrangeira.

Para conseguir que o módulo lunar se comunique com a Terra (já que não há visada direta do lado escuro da Lua com o nosso planeta), a China teve que lançar um satélite (Queqiao) que se tornou o primeiro objeto construído pelo homem a orbitar um Ponto de Lagrange.

Pontos de Lagrange são locais no espaço onde as forças gravitacionais das massas de dois grandes corpos (no caso, a Terra e a Lua) se cancelam mutuamente, permitindo uma órbita estável. No caso do Queqiao, ele foi estabilizado em orbita do Ponto de Lagrange 2 (um dos cinco Pontos de Lagrange entre a Terra e a Lua), que fica justamente virado para o lado escuro da Lua.” [Facebook]

5c2dd1bf630d9b0c1c23f863-960-960

__/\/\/\/\/\/\__

>>> 13 anos de governo petista e não pensaram em taxar os mais ricos, inacreditável [G1]: “O sistema tributário brasileiro precisa ter uma certa progressividade. Não iremos ao extremo de ter apenas uma alíquota [do IR das pessoas físicas], mas poucas alíquotas acho que são absolutamente adequadas. E uma alíquota adicional para altas rendas. Não dá pra estabelecermos números. Não temos parâmetros [a partir de qual renda incidiria essa alíquota maior para alta renda]”, disse Cintra.”

>>>> Essa pró-atividade toda do Toffoli é duma indiscrição constrangedora: “Mesmo que o protocolo não o obrigasse, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, fez questão de comparecer a quatro eventos. Em um esforço físico para estar em tantos locais na Esplanada dos Ministérios, ele prestigiou os ministros Sérgio Moro, da Justiça; Paulo Guedes, da Economia; general Fernando Azevedo, da Defesa; e Ernesto Araújo, das Relações Exteriores.” [O Globo]

>>> Só eu que acho isso um tanto bizarro? “A Polícia Federal questionou ao menos duas embaixadas instaladas no Brasil se estariam abrigando Cesare Battisti. Desde que o ex-presidente Michel Temer decretou a extradição dele para a Itália, Battisti está foragido. A Coluna apurou que entre as embaixadas consultadas estão as da Venezuela e da Bolívia, que negaram terem dado refúgio para o italiano nas suas unidades. Segundo um delegado, informações incorretas gerariam uma crise diplomática, razão pela qual dizem não acreditar que possam ter omitido a verdade nas respostas.” [Estadão]

>>> Conta outra, parte 1: “O presidente Jair Bolsonaro foi informado por sua assessoria de que não pode anular a nomeação de Carlos Marun para o conselho de Itaipu feita por Michel Temer no último dia do seu governo. A nomeação trata-se de ‘ato jurídico perfeito’, aquele que, após realizado, não pode ser revisto. Foi essa a razão que obrigou Bolsonaro a recuar da sua decisão de exonerar Marun.” [Estadão]

>>> Conta outra, parte 2: “Carlos Bolsonaro pediu para acompanhar o pai no Rolls-Royce porque temia pela segurança do presidente durante o desfile. Disse que estava com um “sentimento ruim” e queria estar perto.” [Estadão]

>>> O chefe da Secretaria Nacional de Políticas sobre as Drogas diz que descriminalização não é uma das atribuições de sua secretaria, que mundo louco: “Cabe informar que esse assunto não está na pauta desta Secretaria. Trata-se de decisão que requer muita cautela e responsabilidade através de análise e estudos aprofundados sobre as consequências e impactos na saúde e vida das pessoas e da sociedade como um todo.” [Estadão]

>>> Whitney Houston loucaça: “‘Se não fosse a fraternidade nenhum de nós estaria aqui. É o amor do homem e da mulher que constrói a vida. A vida deve ser preservada. Mas o homem que quer guerra, guerra vai ter. Como terrorista será tratado’” [O Globo]

>>> Tia Eron é a nova secretária da Mulher, indicação da ministra “terrivelmente cristã” [Estadão]

>>> A cara de pau do Breno Altman é qualquer nota [link]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s